• José Osterno

EZRA POUND: VIDA E VINHO



Não é, Raana, que eu soe mais alto

Ou mais doce que os outros. É que eu

Sou um Poeta, e bebo vida

Como os homens menores bebem vinho

(Ezra Pound, em tradução de Augusto de Campos).


Em minha menoridade poética, bebo vinho.

Bebo vinho e, como Maiakóvski, me embriago de versos.

Bebo vinho e, como Bandeira, imagino Irene no céu.

Bebo vinho, pelas páginas que tenho lido, como Borges.

Bebo vinho, pelo vinho e pelo pão, como Zé Ramalho.


E porque há vida, no vinho; e vinho, na vida, ouso recomendar os seguintes rótulos (tintos):


- Quinta de Chocapalha, português,

- Quinta do Portal Colheita Douro, português,

- Izadi Selección Rioja, espanhol, e

- Cypress Zinfandel, californiano.


Um brinde!


Santé’, dizem os franceses.


José Osterno

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo