• José Osterno

FELICIDADE II

José Osterno Campos de Araújo

O homem não pode

Ser feliz todo.

É preciso, sempre,

Que um braço não seja,

Para que uma perna.

O homem não pode

Ser feliz, por completo.

É, sempre, assim

Como um copo,

Meio cheio, meio vazio.

O homem feliz,

Por inteiro, partiu-se.

E, para sempre, permanece

Mutilado.

A felicidade absoluta

Não existe,

Assim,

Para os homens.

Existe

Para os deuses,

Que não vivem

A buscar

Metades perdidas.

8 visualizações