• José Osterno

MAIAKÓVSKI



No dia de sua morte,

A manchete

dos jornais russos

talvez

tenha sido:

Morreu o poeta

Vladímir Maiakóvski.

A poesia também,

Um tanto’.


Afinal,

Quem escreve versos como:


Eu apenas quero um veneno:

Embebedar-me de versos

(de A flauta-vértebra).


Ou


“E se chaminés

Me faltam

Talvez

Sem chaminés

Seja preciso

Ainda mais coragem

(de O poeta-operário).


Alguém assim

Não morre.

E se morre,

Não morre

Para sempre.



José Osterno Campos de Araújo


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo