• José Osterno

POEMAS DA FILHA E DO PAI



POEMA DA FILHA – Ana Carolina Ribeiro de Araújo Suguri, Poeta e advogada.


POEMA DO SEMEADOR


Sempre acreditei, piamente,

Naquela frase que diz

Que a gente colhe

O que a gente planta.

Até começar a dar errado.

Porque, Senhor, veja bem...

Eu não me lembro de ter

Semeado merda.

___________________________________________________________



POEMA DO PAI – o poema que segue foi escrito em março de 1988. Eu e Carmen não quisemos, antes do parto, saber o sexo do bebê. Então, em novembro de 1988, chegou nossa amada Carol, que, com sua irmã Gabi, de janeiro de 1992, são nossos preciosos presentes de Deus.

MEU FILHO ESCREVE POEMAS

NO ÚTERO DA MÃE

Porque o Pai ama o Filho

JO 5, 20

Meu filho escreve poemas

No útero da mãe.

Meu filho escreve

Sobre um mundo esférico

De homens não nascidos.

Sem palavras, meu filho

Escreve o poema do alimento

Que lhe vem à boca,

Do sangue que pulsa

Em seu quase peito.

Meu filho não tem idade (ainda),

Não sabe (ainda) que o poema

É do filho, que o filho

É do pai, que o pai

É do tempo (ainda).


22 visualizações